19 de novembro de 2012

Cinquenta Tons... Resenha Trilogia

Cinquentta tons de cinza.

Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja, mas em seus próprios termos

Cinquenta tons mais escuros
Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua nova carreira, numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão 

Cinquenta tons de liberdade
Quando a ingênua Anastasia Steele conheceu o jovem empresário Christian Grey, teve início um sensual caso de amor que mudou a vida dos dois irrevogavelmente. Chocada, intrigada e, por fim, repelida pelas estranhas exigências sexuais de Christian, Ana exige um comprometimento mais profundo. Determinado a não perdê-la, ele concorda. Agora, Ana e Christian têm tudo: amor, paixão, intimidade, riqueza e um mundo de possibilidades a sua frente. Mas Ana sabe que o relacionamento não será fácil, e a vida a dois reserva desafios que nenhum deles seria capaz de imaginar. Ana precisa se ajustar ao mundo de opulência de Grey sem sacrificar sua identidade. E ele precisa aprender a dominar seu impulso controlador e se livrar do que o atormentava no passado. Quando parece que a força dessa união vai vencer qualquer obstáculo, a malícia, o infortúnio e o destino conspiram para transformar os piores medos de Ana em realidade.


Faz tempo que não faço um post no blog, acho que a pressão com ele e com os livros a ler e com a minha própria vida me esgotou por um tempo.
Preferi ficar off por um tempo (perdão a todos por isso) o que me fez vir a tona e retomar meu prazer por livros foi o bendito CINQUENTA TONS DE CINZA a trilogia.
Não vou fazer uma resenha de cada livro até porque eles se resumem em uma única história. Aviso desde já que esta resenha é mais do que pessoal.
O que sinto agora depois de terminar de ler Cinquenta tons de liberdade é um imenso vazio, uma dor lancinante, sabe aquela dor de amor que te deixa com um buraco na alma? Uma dor física que te dói em todos os lugares do corpo, uma dor do fim.

Anastasia Steele é uma garota normal, está se formando na faculdade e trabalha em uma loja de materiais de construção, sua vida muda de cabeça para baixo quando ela vai entrevistar o empresário Christian Grey a pedido de sua amiga Kate que não pode ir.
Assim que Christian e Ana se encontram pela primeira vez, a conexão entre os dois é muito forte, Ana se impressiona com a forte personalidade de Grey e Christian com a doçura e ingenuidade de Ana.
A partir deste momento ambos se entregam a uma paixão e um perigoso jogo de sedução e sexo.

Ah, mais lendo este pequeno trecho que eu escrevi, você (que não lei a trilogia ainda) deve pensar; "Deve ser mais um romance desses piegas que tem por ai!"
Sim pode ser, na verdade é, porque no fundo já sabemos o que vai acontecer no final. Mais tenho que falar,  na verdade nem seu ao certo o que vou escrever;
E.L. James virou sem dúvidas minha autora favorita. Acho que ela conseguiu escrever o romance dos sonhos, O HOMEM DOS SONHOS.
Amei cada personagem, Ana foi ótima. Mais Christian, foi simplesmente perfeito. Acho que ele é a descrição de Homem que toda a mulher tem. Não falo pelo dinheiro e nem pela aparência (), mais pelas suas características pessoais, ele é inteligente, autoritário, protetor, carente, bruto, doce, infantil, homem, divertido, triste, frustante e sexy...
No começo do livro eu estava detestando o Chris, até coloquei uma foto no instagram falando sobre isso, então veio a Séphora e me disse que eu iria ama-lo quando eu lesse mais do livro. Dito e feito, terminei Cinquenta tons de cinza chorando por Grey e Ana.
Apesar do frisson feito em cima do Sexo Sadomasoquista que traz no livro (e que nem é tanto assim) o que mais me chamou a atenção foi o calvário de Christian, a tortura que ele passou para poder se libertar do seu passado (sua mãe prostituta e a violência que ele sofria através do cafetão da mesma) ao mesmo tempo em que tinha que lidar com a descoberta do Amor.
No decorrer da trilogia, Ana e Christian amadurecem em seu íntimo e juntos descobrem o quão difícil é manter um relacionamento com suas adversidades.
Não posso dizer que não há momentos repetitivos nos livros, como por exemplo a insistência de Ana em tocar no assunto Mr. Robinson, ou em querer se tornar uma submissa porém não conseguindo aguentar o tranco (que menina chata, ou dá ou desce, desculpa, mais ajoelhou tem que rezar) ou o fato de ela viver sofrendo o fantasmas das ex-submissas de Christian, acho que ela gostava de sofrer com as informações de obtinha dele para poder fazer comparações entre ela e as ex*.
A trilogia em resumo, conta como os dois se conheceram, como começaram  seu relacionamento, e como fizeram com que ele fosse para frente, Christian com a sua suér proteção e mania por controle e não sabendo aceitar que Ana o amava e Anastasia com sua insegurança com relação ao mundo e Christian.
Chorei quando terminei o primeiro livro, chorei nas cenas em que Christian sentava-se ao piano tocando Bach - Marcello ou Chopin - Prelude in E-Minor (op.28 no.4) chorei quando ele perde Ana e principalmente quando a encontra, mais principalmente quando li o final de Cinquenta tons de liberdade bem no final do livro quando há um "conto" do primeiro natal de Christian ainda criança e o primeiro capítulo de Cinquenta tons de cinza ao olhos de Christian Grey.
Recomendo o livro, sim, se tornou o meu favorito? sim, vou ler ele de novo (JÁ COMECEI A LER CINQUENTA TONS DE CINZA NOVAMENTE porque não consigo me desgrudar do Sr. Grey)
Não chamaria o post de hoje de resenha, acho que nem é mesmo, mais de 'uma sincera opinião'. Não há como não se apaixonar por ambos os personagens, não há como não fantasiar com a opulência do mundo Grey, não há como dormir sem sonhar com Christian.
O livro é ótimo, os personagens são bem construídos, as cenas bem desenvolvidas sem ser massante*
Nota 10 para todos os livros e nota 0 por terem um fim.

Agora, como o assunto do momento é sobre a produção do filme e escolha do elenco segue aqui minha opinião. Para Christian Grey eu voto no Matt Bomer, (sim ele é gay, mais é lindo e vamos se sinceros, a descrição feita no livro dos Sr. Grey é o Matt todinho, então mesmo ele sendo gay, ainda vou continuar fantasiando com ele quando estiver relendo a trilogia dos Cinquenta Tons.


"Estou imóvel e bastante trêmula, tentando controlar meus nervos. Pego a mochila, abandono o copo d'água e me encaminho para a porta entreaberta.- Não precisa bater, basta entrar. - Ela sorri com simpatia.Empurro a porta, tropeço em meus pés esquerdos e caio estatelada no escritório do Sr. Grey e mãos delicadas me envolvem, ajudando-me a levantar. Que vergonha, maldita falta de jeito! Tenho que me armar de coragem e erguer os olhos. Caramba... ele é muito jovem.- Srta. Kavanagh. - Ele estende a mão de dedos longos quando já estou de pé. - Sou Christian Grey. A senhorita está bem? Gostaria de sentar?Muito jovem. E atraente, muito atraente. é alto, está vestido em um belo ternoi cinza, camisa branca e gravata preta, cabelo revolto e acobreado e olhos cinzentos vivos que me olham com astúcia. Custo pouco a conseguir falar.- Hum. Na verdade... - murmuro pág 10 e 11


Apresento-lhes meu Christian Grey. (Matt Bomer)








Espero que vocês tenham gostado da minha singela opinião. Para quem não leu o livro, deixa de ser tola e vai correndo pegar a sua trilogia para saborear-se com o Sr. Grey.

Beijokas enormes, (estava com saudades desse meu cantinho).




6 comentários:

Rosane Fantin disse...

Oi! Finalmente leio uma opinião sobre a trilogia da E.L.James que concorda comigo.A história do Christian Grey e da Anastácia é maravilhosa(apesar dos "defeitinhos" que citaste). A James conseguiu dar vida a um personagem masculino que é a essencia de tudo que esperamos num homem.Ele é um furacão e, ao mesmo tempo, a calmaria.
Esse romance é muito mais do que apenas uma história regada a sexo.
Beijos, querida! Fiquei muito feliz ao ler o teu post!
http://romancesaovento.blogspot.com

Kézia Lôbo disse...

Oie florzinha.. entaum eu cheguei a ler o inicio do primeiro livro, mas abandonei, sinceramente nao gostei nada, mas gostaria de terminar so pra ver no que vai dar mesmo, apesar de ler nas resenhas toda a historia hueheu. mas se eu ler vai ser muito mas muitoo adiante. Tua resenha ta otima!

Larissa Lacerda disse...

Não posso concordar MAIS com vc!
Amei a trilogia. Cada linha.
Eh a minha favorita agora e sei que Christian Grey foi o personagem mais marcante de todos que encontrei.

Gostaria que não tivesse acabado. O que fazer agora sem o Christian?

Ana Zuky disse...

ADOREI seu comentário feito da trilogia.Bom sobre a Anastacia não fui muito com acara dela(pelo simples motivo de ela ter ele todinho pra ela.kkkkkkkk)Mas Anastacia como você mesma falou fica fusando e xeretando sobre as ex-s de Grey e depois fica toda irritadinha.Teve momento de minha leitura,que tive vontade de entrar no livro e dar umas semelhantes de bofetadas na cara dela.mas como isso é impossivel(kkkkk) dava tapas,batia com o livro em minhas pernas(kkkkkk).
Já o Grey é tudo de bom,é o homem que toda mulher sonha encontrar.
Apesar de ser erotico,o que mais me fez ter interesse é a estoria envolto do livro,o mistério,drama e romance,são totalmente contagiante e envolvente.
É uma pena ter chegado ao fim.Mas acredito que a escritora nos trara outro para suspirar e sonhar.

Parabéns.AMEI o blog!

Beijokas Ana Zuky

Juliana e Talita disse...

http://livrosentreamigaslilas.blogspot.com.br/

Pabline disse...

Oi flor.

Pois é, gostei muito da trilogia.
E apesar de alguns defeitos, que reconheço que tem, me foi impossível não devorar os livros e acompanhar essa loucura que é a vida dos dois.
Grey é realmente um homem idealizado, e talvez por isso conquistou muita gente, e Ana também não deixa de lembrar as leitoras do livro em alguns aspectos, nos reconhecemos em certas atitudes e pensamentos.

É lindo ver os dois, apesar de idealizados, com defeitos que os tornam extremamente humanos; se conhecendo, a evolução que vão tendo ao decorrer da trama...

A Autora não se tornou favorita porque acho que ele ainda tem muito a deixar a desejar em relação a narrativa. Gosto do livro mais pela história em se; prende, é diferente, é louco, é viciante.

Estou super ansiosa pelo filme, e ao contraio de você, não vejo o Matt como Grey. Olho para as fotos dele e fico, "meu Pai esse homi é lindimais" mas ao mesmo tempo olho para ele e fico "ele é tão doce *.........*"
Pra Grey tem que ser um cara do tipo jogou a menina na parede e a chamou de lagartixa, sabe? Bem másculo XD. Não consigo ver o Matt assim xP
Porém... Só assistir um filme com ele, e ele era muito coadjuvante por isso não deu de perceber muito se ele é bom ator. Porque no final das contas, o importante é atuar bem o/
Matt seu lindo ;*

Bjão flor, adorei a resenha!

-Amigas Entre Livros-

Postar um comentário

Poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...